MODA: Periferia ganha estímulo ao empreendedorismo com workshop de moda

O Projeto Arrastão, organização que promove oportunidades de inserção social e capacitação profissional para famílias do Campo Limpo, bairro periférico de São Paulo, oferece em sua programação geral aulas de empreendedorismo, moda, design e gastronomia. Entre elas está a 'Periferia Inovadora Moda', uma formação que, segundo estimativas dos organizadores, já impactou uma média de 120 pessoas -- indiretamente -- considerando os reflexos que o aprendizado pode trazer não só para alunos, como para familiares e amigos. Somente essa ação, em especial, capacitou jovens e adultos - de idades entre 24 e 65 anos - com formação teórica e prática em moda e negócios, durante 5 meses.
 

Durante os meses de maio e junho, o projeto 'Periferia Inovadora Moda' ganhou um novo módulo -- realizado de forma híbrida: o 'Workshop Moda e Empreendedorismo, criando sua marca'. Foram duas sessões conduzidas por Isabel Masagão Moufarrege e Julia Lavor, e que significaram momentos de união de sonhos de infância, amizade, paixão e troca de experiências entre gerações e realidades de vida muito diversas, tanto para as jovens quanto para os empreendedores da comunidade do Campo Limpo.
 

As amigas, Isabel e Julia, se conhecem desde criança e sempre nutriram a paixão pelo mundo da moda. Desde então, se dedicam para entender melhor o mercado, numa preparação para atuar nele no futuro. A história delas se cruza com a do Projeto Arrastão quando enxergaram nas atividades do coletivo uma oportunidade para conhecer o ponto de vista de homens e mulheres sobre a moda, de uma diferente perspectiva socioeconômica. Para além disso, as jovens encontraram nas oficinas que a organização aplica, o ambiente adequado para uma rica troca de experiências com a comunidade, gerando ainda novos estímulos para fontes alternativas de geração de renda.
 

Após conversas com os assessores de moda e empreendedorismo do 'Periferia Inovadora Moda' e participação ativa com a comunidade nas demais oficinas do Arrastão, as amigas estruturaram o workshop e aplicaram aulas de conteúdo informativo sobre conceitos e tendências no mundo da moda, para duas turmas, promovendo a troca de saberes e habilidades, na prática.
 

"Meu marido é tapeceiro, confecciona e reforma estofados e cortinas. Para ajudar no negócio, busquei o curso para aprender mais sobre costura, inicialmente. Com as aulas de empreendedorismo inseridas na programação por meio do módulo 'Criando sua marca', percebi que o curso me ofereceria muito mais do que técnicas para costurar e mostrou que precisava ajustar processos gerenciais em nossa empresa, que é um pequeno negócio de família, ainda. Então, indiquei meu marido para fazer aulas comigo, enquanto eu foco na parte de corte e costura, ele absorve o conteúdo de empreendedorismo, já que de confecção, ele já entende", conta Liliane Fernandes, aluna de uma das turmas.
 

Luci Carmen Nogueira, de 64 anos, é outra aluna de longa data dos muitos workshops promovidos pelo Projeto Arrastão, e conta que nesse último teve oportunidade de ter contato com um tema muito relevante para ela, a questão das práticas sustentáveis aplicadas aos negócios. "É um assunto urgente e talvez pouco difundido em comunidades. As atividades do Arrastão nos oferecem esse acesso, além de estimular ações que garantem qualidade de vida para nós e futuras gerações", diz.
 

Em relação ao perfil dos participantes, 40% da turma era de mães que buscam na formação uma oportunidade de geração de renda, 20% já eram atuantes da área da moda e buscavam ampliar seus conhecimentos para empreender e outros 20% eram de pessoas em transição de carreira ou em idade de se aposentar, e que procuraram na moda uma oportunidade de investir seu tempo e garantir renda extra.
 

Regina Célia de Camargo, que é professora aposentada buscou as aulas para aprender a operar uma máquina de costura que a mãe tinha em casa para que, a partir dela, pudesse criar um negócio que gerasse renda extra, já que são aposentadas. "Criamos uma marca de kits voltados para mulheres e atingimos o primeiro objetivo. Mais do que um negócio, com a convivência nas aulas e as conversas comandadas por duas meninas, muito mais jovens que nós, relembrei meus tempos de docente e assim como as outras participantes, saí inspirada e empoderada, acreditando que mais que aulas de moda, a educação é uma ferramenta de transformação para a vida!", conta emocionada.
 

Elizena Lucia Cocci, também professora aposentada, completa o depoimento da colega e diz: "Eu busquei as aulas para ter uma nova ocupação, além de reviver a vida acadêmica e aprender sobre mundos que eu não conhecia, moda, empreendedorismo...me surpreendi com a infinidade de temas e assuntos que nos foi passado. O mais emocionante foi ser apresentada ao novo e ensinada por 'duas crianças', já que sou uma senhora de 60 anos, que vê magia no 'ensinar'. Tocou meu coração e saí transformada, na alma", relata com a voz embargada.
 

Em geral, o conhecimento repassado nas aulas serviu como ferramenta de aperfeiçoamento sobre as técnicas de costura, com objetivo de desenvolver peças para comercialização. Para Isabel e Julia, a experiência serve de combustível para a carreira que pretendem seguir no mundo da moda. O próximo passo para elas é participar de um curso de férias no International Fashion Academy (IFA) em Paris, escola que vem formando tendências e atores de destaque no mundo da moda desde 1980.
 

"Moda para mim é a chance perfeita de expressar meu interior no meu exterior, que sempre me pareceu mágica! A maneira como nos vestimos diz muito sobre como pensamos, agimos e principalmente sonhamos. Partindo desse princípio, organizar esse trabalho com a Júlia foi a oportunidade para aplicar a moda na vida real, para além do meu universo. Nesses workshops, conhecemos vidas e pessoas com diferentes realidades e pensamentos, e que como nós, sonham intensamente. Ajudá-las a buscar suas ambições, por meio da moda e da educação, foi inspirador, muito gratificante para nós e representa o começo da nossa vivência profissional nesse universo que tanto amamos", explica Isabel.
 

Para Júlia, a moda é uma maneira robusta de comunicar os sentimentos e pontos de vista, ao mesmo tempo em que é delicada, pelo uso da arte e beleza como ferramentas. "Foi com esse pensamento que estruturamos esse projeto, que é tão especial para nós, mas que tem potencial grandioso de causar impacto positivo para a comunidade. O resultado traz o fascínio da moda somado ao poder transformador da educação", comenta.
 

Alunos em desenvolvimento



Das salas de aulas para a prática

Após a finalização das aulas, os participantes estarão na feira de negócios Empreendedores Arrastart, promovida pela equipe do Projeto Arrastão, comercializando produtos gastronômicos, de moda e design, produzidos pelos alunos da organização, a partir dos conhecimentos adquiridos durante os cursos. O evento contará com a presença e parceria do SEBRAE MÓVEL, oferecendo assessoria para quem quer abrir um negócio e para quem já empreende.
 

Na programação da feira, que é gratuita, aberta ao público e acontece no dia 16 de julho, na sede do Projeto Arrastão, localizada na Rua Dr. Joviano Pacheco de Aguirre, 255, no Campo Limpo, está previsto uma apresentação do workshop "Tirando o seu negócio do Papel: o passo a passo para empreender", com Érika Lagallo, facilitadora de Design Thinking, às 10h30. Na sequência, às 11h30, acontece um desfile de moda e design com os produtos dos empreendedores Arrastart. Mais tarde, às 12h30, palestra "Alimentando a tecnologia ancestral nas Periferias: atravessando pontes e oceanos", apresentando a trajetória da Chef Suellen Maristela, empreendedora da Matulas da Nêga. Seguindo o cronograma, às 14h, tem a Oficina de stencil e customização de tecidos, com Karin Dal Seno, estilista e educadora de moda e design. Paralelamente, também às 14h, Oficina de fotografia de produtos com celular, com Agenor Mendes, fotógrafo e artista plástico. O evento abre às 10h e o encerramento das atividades será às 16h.
 

Rodrigo Thomas é um dos formados pelo Arrastão e estará apresentando sua marca durante a feira. "Sempre fui apaixonado por arte e nas atividades do curso me encontrei, transformando esse amor em moda, que posteriormente virou negócio. O projeto me deu espaço para olhar as coisas de outras perspectivas, tanto para mim, como pessoa, quanto para a minha marca!", explica o criador da Arrastart, que também mantém uma loja virtual no Instagram, a Estúdio Maricas.
 

Também fruto do projeto e presente na feira, está a marca I P for M que se propõe a oferecer moda sob medida para a periferia em uma coleção de qualidade e produtos personalizados de acordo com o estilo e vontade de cada cliente, com preço justo e acessível. "A nossa participação no módulo "Criando sua Marca" permitiu que a gente atualizasse nossa pesquisa de mercado, ao mesmo tempo em que tínhamos contato com tendências de moda apresentadas mundialmente", conta Iago de Sousa Silva da IP for M.

 

Coleção da IP for M








FAÇA PARTE DA MAIOR REDE DE DIVULGAÇÃO NA INTERNET !






SAIBA COMO GANHAR DINHEIRO NA INTERNET







MAIS ACESSADAS NO SITE::

MODA: Bruna Marquezine aparece com novas cores do PUMA Mayze

Tricot é tendência para 2022; saiba como usar e fazer looks arrasadores

Moda sustentável: Qual a importância dela na atualidade ?

Supermodelo brasileira Lais Ribeiro usa óculos da Carolina Herrera