MODA: O Desenvolvimento de Produto

PRODUTO DE MODA: CONCEITO E DEFINIÇÕES



Produto é o resultado final de qualquer processo, qualquer coisa que seja produzida. Existem três níveis de produtos:

1. Produto básico é aquele que corresponde ao que o consumidor está realmente interessado em comprar.

2. Produto real é gerado a partir do produto básico, com cinco peculiaridades:

• nível de qualidade

• características

• design

• marca

• embalagem

3. Produto ampliado é fruto da união do produto básico e do produto real, com a oferta de serviços e benefícios extras ao consumidor.

Produtos de consumo são aqueles adquiridos pelos clientes para consumo pessoal e podem ser subdivididos em produtos de conveniência, produtos de comparação e produtos de especialidade.

O prêt-à-porter é um exemplo de produto de comparação, pois são os produtos de consumo comprados com freqüência e cuidadosamente comparados em termos de adequação, qualidade, preço e estilo.

Pode-se considerar os produtos de moda da alta-costura como produtos de especialidade, pois são produtos únicos, com características exclusivas, possuem uma identificação de marca e os consumidores efetuam um esforço maior para comprá-los.

O mercado dos produtos de vestuário é dividido em dois segmentos: no segmento de Produtos Básicos, os preços dos produtos são baixos e a distribuição é extensiva, já que a produção trabalha somente com grandes lotes de produtos. No segmento de Produtos de Moda, os lotes de produção são pequenos, os preços dos produtos são considerados altos e a distribuição é seletiva, apenas em grandes centros urbanos e em canais especializados.

Pode-se conceituar produto de moda como qualquer elemento ou serviço que conjugue as propriedades de criação (design e tendências de moda), qualidade (conceitual e física), vestibilidade, aparência (apresentação) e preço a partir das vontades e anseios do segmento de mercado ao qual o produto se destina.

Cronograma e metodologia da criação industrial, a questão das cores é considerada com dois anos de antecedência da estação em estudo, com um ano e meio de antecedência é preciso estudar e elaborar os tecidos e as formas são consideradas um ano antes da estação em estudo.

O produto de moda é composto por uma seqüência de diversos estágios: análise, elaboração, criação e difusão.

O primeiro estágio compreende a análise sócio-cultural e econômica do mundo contemporâneo. Na etapa da análise, verifica-se os itens preço, segmento de mercado, público-alvo, renda per capita, concorrência, promoção, custos de desenvolvimento e lucros.

O segundo estágio do produto de moda corresponde à fase de elaboração do produto, etapa em que o conceito de produto é transformado em um produto físico. Fase onde se coletados sobre novas tecnologias de produtos e de produção, materiais e equipamentos que possam servir de subsídios para a etapa seguinte: geração e seleção de idéias. O estágio da elaboração corresponde à adequação da metodologia a ser utilizada na criação, objetivando obter um produto tecnicamente perfeito.

A criação do produto está inserida num terceiro estágio, enquanto as questões de marketing pertencem ao estágio da difusão do produto de moda. O estágio da criação é quando o profissional da moda vai definir quais os componentes que irá utilizar para transformar o conceito do produto (algo abstrato) em objeto físico (algo concreto).

O último estágio do produto de moda denomina-se difusão e permeia todos os estágios anteriores, já que, cada parte desse sistema de estágios, acrescenta valor à fase seguinte. Este estágio não se traduz apenas como venda e propaganda, mas envolve comunicação e merchandisign, questões integrantes do marketing. Nessa etapa, considerando que desenvolvimento de produtos, pesquisa, comunicação, distribuição, preços e serviços são atividades centrais do marketing, deve-se portanto, desenvolver um bom trabalho de identificação dessas necessidades, elaborando produtos de valor superior, definindo bem seus preços e fazendo uma boa distribuição e promoção.

Existem três ciclos de vida especiais e que são perfeitos para o ciclo de vida do produto de moda: Estilo, Moda e Modismo. Os produtos de ciclos longos, denominados produtos de Estilo, permanecem durante gerações. Os produtos de Moda têm ciclo de vida médio, possuindo uma curva de crescimento gradual, permanecendo aceita ou popularizada pelos consumidores durante determinado período e descendo lentamente, normalmente o espaço de tempo de uma estação climática. Já os produtos com ciclo de vida curto podem ser caracterizados como produtos de Modismo. É o produto que entra rapidamente no mercado, é adotado com grande entusiasmo, atinge seu auge em pouco tempo e declina também em pouco tempo, tendendo a atrair um número limitado de seguidores.




DESIGNER DE MODA


O design pode ser dividido em três grandes áreas de atuação: Design Industrial, Design de Interiores e Design Gráfico. O design de moda é uma divisão do design industrial, reconhecido como característica essencial da atividade comercial e industrial, um elemento de especialização dentro da divisão de trabalho, implícita na produção e nas vendas em massa. Design é a idéia básica de criação de objetos, definida pelo trabalho de um profissional ou equipe de profissionais, ponderando para qual segmento de mercado o produto se destina e qual o uso desse produto por esse mercado.

As limitações da infra-estrutura e máquinas das empresas, deverão ser ultrapassadas e dominadas pela criatividade do designer de moda, expandindo assim, as possibilidades da produção industrial.

No que se refere à criação, a modernidade sustenta, compõe e legitima o design de moda. Ambos apontam para o presente.

Moda é um produto de design e o profissional responsável pela criação e desenvolvimento do produto de moda denomina-se Designer de Moda. Originou-se a partir da necessidade da sociedade industrial criar mecanismos que pudessem fornecer uma lógica à maneira de produzir objetos e informações, a partir da metade do século XIX quando surgiu o projeto industrial, ou seja, o meio através do qual um novo especialista, o designer, passa a controlar o processo que vai da concepção do produto ao seu uso.

Na definição do Instituto Internacional de Design (ICSID), o designer é o profissional responsável em transformar, de maneira consciente e criativa, idéias em formas, através da combinação do trio: tecnologia, materiais mais o contexto social no sentido de satisfazer o ser humano. A síntese das habilidades desse profissional:

• capacidade para pesquisar, organizar e inovar; habilidade para desenvolver respostas apropriadas para problemas novos;

• aptidão para testar essas respostas, através de peças-pilotos ou com modelos desenvolvidos pelo sistema CAD (Computer Aided Design, desenho auxiliado por computador);

• treinamento para comunicar esses desenvolvimentos através de croquis, modelos, modelagem, pilotagem e através de relatórios orais ou escritos;

• talento para combinar forma, técnica, condições humanas, sociais e arrebatamento ético;

• sabedoria para prever conseqüências ecológicas, econômicas, energéticas, sociais, políticas da interferência do design;

• compreensão para trabalhar em equipes multidisciplinares.

O designer deve ser um criador com uma visão ampla do processo produtivo, exercendo influência desde a escolha de materiais, produção, comunicação, lançamento, comercialização até a reciclagem de produtos industriais, sintetizando nesse conjunto o profissional do século XXI.

A criação não se realiza mais na frente de um computador ou junto a uma prancheta de desenho, mas sim, através da coleta de dados, observando e analisando o comportamento do consumidor.




CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO

A linguagem do design de produtos se manifesta através do projeto, que se faz necessário para articular cadeias de informações destinadas à fabricação em larga escala por meio de tecnologias industriais.

O designer necessita de um método para o projeto, livre de preconceitos artísticos, utiliza matéria-prima e técnica que o permitam criar produtos adequados às funções prática, estética e psicológica a que se destinam.

Projeto e metodologia são aspectos distintos. Projeto é uma das etapas do método de trabalho do designer.

O desenvolvimento de produtos consiste em vários estágios sucessivos de um processo, partindo do conceito (idéia) até o cliente, com a finalidade de desenvolver produtos com características que atendam às necessidades dos clientes.

O processo de desenvolvimento de produtos decorre numa alternância entre passos de trabalho e decisão e pode ser entendido como uma transformação de informações.

Até a década de 60, predominava a metodologia tradicional, onde cada departamento executava certa etapa do trabalho e somente depois de terminado, enviava-o para outro departamento. Atualmente, a metodologia simultânea reúne fornecedores, clientes, equipes internas de desenvolvimento e de processo num trabalho de parceria, numa abordagem flexível, omitindo etapas do desenvolvimento, poupando tempo e aumentando a eficácia.

Características da metodologia simultânea:

• procura obstinada pela qualidade;

• contribuição simultânea e equilibrada da equipe da empresa, fornecedores e clientes;

• opção por manufatura inovadora;

• entrosamento e coordenação das equipes internas e externas;

• clientes e fornecedores fortes para melhorar saúde financeira;

• ambiente propício para facilitar e estimular a criatividade de cada um.

Projeto de produto está inserido no processo de tomadas de decisões denominado Desenvolvimento de produtos, com as fases simultâneas, transformando conceitos (idéias/abstrato) em produtos (elemento físico/concreto) a partir da identificação de oportunidades de mercado, de uso e de fabricação.

O objetivo do projeto de produtos é a satisfação das necessidades e expectativas atuais e futuras dos consumidores. Os principais pontos do projeto são:

• objetiva satisfazer as necessidades dos consumidores;

• aplica-se tanto a produtos como a processos;

• é um processo de transformação;

• inicia com um conceito e termina na tradução desse conceito em uma especificação de algo que possa ser produzido.

O projeto é o resultado de uma especificação minuciosa do produto, obtida através da coleta de informações determinantes do produto, tais como:

• seu conceito global (especificando a forma, a função e o objetivo geral do projeto e os benefícios que trará);

• seu pacote (especificar todo o conjunto de produtos e serviços individuais que são necessários para preparar e apoiar o conceito);

• o processo pelo qual o pacote será criado (especificando como os vários produtos e serviços individuais no pacote devem ser produzidos).

A atividade de projeto pode ser dividida em cinco etapas:

1. Geração do Conceito.

Fornecimento de idéias para novos produtos, a partir de informações coletadas junto a fontes internas, ou seja, sugestões obtidas através do contato com os clientes pelo departamento de vendas ou as necessidades dos consumidores detectadas pelo departamento de pesquisa & desenvolvimento (produtos elaborados pela concorrência, pesquisas de mercado e as idéias dos clientes).

Para que a idéia transforme-se num conceito é necessário que seja entendida, realizada e vendida por todos os membros da organização. O conceito engloba não só a idéia, mas também sua forma (expressão global do produto), função (maneira como o produto funciona), objetivo (satisfação das necessidades do consumidor pelo produto) e benefícios (vantagens que o produto trará aos consumidores).

2. Triagem dos Conceitos.

O propósito de avaliá-los quanto a sua viabilidade (investimentos financeiros e gerenciais necessários), aceitabilidade (retorno em termos de desempenho do produto e desempenho financeiro) e vulnerabilidade (riscos que a empresa está sujeita se o produto for um fracasso). Nessa fase, os diversos conceitos gerados, a partir das idéias de fontes internas e externas, são analisados sob diferentes aspectos e critérios para a seleção das melhores propostas. O setor de marketing realiza a sua seleção com base no conhecimento do mercado, o departamento de produção analisa a viabilidade dos novos conceitos e a possibilidade de produzi-los. O cálculo das conseqüências financeiras do novo produto, através da reunião dos dados levantados pelos departamentos de marketing e produção, é analisado pelo setor de finanças.

3. Projeto Preliminar.

Consiste da especificação dos produtos e serviços componentes do pacote; definição dos processos para gerar o pacote.

4. Avaliação e Melhoria do Projeto.

Objetiva o aperfeiçoamento do produto antes que seja introduzido no mercado.

5. Prototipagem / Projeto Final.

Consiste em transformar o projeto melhorado em um protótipo que possa ser testado.

Os sistemas CAD proporcionam a capacidade auxiliada por computador para criar e modificar desenhos de produtos. A vantagem mais óbvia dos sistemas de CAD é sua capacidade para armazenar e recuperar dados de projeto rapidamente, bem como sua capacidade para manipular detalhes de projeto pode aumentar consideravelmente a produtividade da atividade de projeto.

De uma maneira mais simplificada, o desenvolvimento de produtos é subdividido nas seguintes etapas:

• Estudo da proposta de desenvolvimento;

• Concepção;

• Projeto preliminar;

• Projeto detalhado.

• O processo de desenvolvimento de novos produtos pode ainda ser dividido em oito partes:

1. Geração de idéias, que é a procura sistemática, ordenada e não casual por idéias para produtos novos;

2. Seleção de idéias, fase que consiste em identificar, entre as idéias elaboradas, as mais indicadas para o tipo de negócio da empresa;

3. Desenvolvimento de conceitos, que é a conversão em uma versão detalhada dos elementos significativos para o consumidor, de toda a idéia selecionada na etapa anterior;

4. Desenvolvimento de estratégia de marketing consiste em três fases distintas:

• Mercado-alvo, posicionamento do produto, metas de vendas, de participação no mercado e de lucros,

• Preço planejado do produto, distribuição e marketing,

• Planejamento de vendas a longo prazo, metas de lucros e a estratégia de marketing mix;

5. Análise comercial avalia a atratividade comercial do produto, compreendendo a avaliação das características específicas dos produtos, em termos competitivos e dos processos utilizados pela concorrência para fabricar seus produtos. A análise da vendabilidade envolve todas as características do produto que incitam a predisposição dos clientes em comprá-los;

6. Desenvolvimento de produto é a etapa do desenvolvimento do protótipo do produto, estimulando e satisfazendo as necessidades dos clientes, dentro dos prazos e custos previstos;

7. Teste de marketing realiza a introdução do produto em situações reais de mercado;

8. Comercialização fornece à empresa as informações necessárias para que possa decidir sobre o lançamento de um novo produto.

O design caracteriza-se por partir das intuições mais alucinadas e conseguir levar à prática sonhos, que permitam produzir objetos úteis e bonitos, desenvolvidos com base em imagens ou elementos com determinados reflexos, cores, toques e grafismos, mesmo sem estabelecer qualquer ligação com o produto a ser produzido.

É imprescindível que o designer se auxilie de vários métodos de desenvolvimento de criatividade e esses métodos fornecerão os dados, as idéias e os motivos que, ligados às possibilidades e limitações da produção industrias, servirão de base para a geração de novos produtos.

As fontes de criatividade podem ser de várias ordens:

• Fontes individuais: fundamenta-se na pesquisa, de caráter psicológico, das preferências formais e colorísticas de cada pessoa.

• Fontes naturais: partindo de informações como folhas, flores, cortes estratégicos em frutas ou da observação microscópica de elementos naturais e vegetais.

• Fontes culturais: pode-se desenvolver padrões ou cores a partir do estudo de obras de artes (pintura, escultura, gravura), da arquitetura, da produção artística de civilizações primitivas ou de períodos históricos.

• Fontes abstratas: a partir de formas abstratas ou geométricas, dispostas em módulos e combinadas entre si, pode-se desenvolver novas estruturas para objetos.

A criação e o desenvolvimento do produto de moda compreende a observação, a análise e a síntese quantitativa e qualitativa das necessidades de determinado segmento de mercado; e a transformação dessas necessidades em um produto de moda. Coleção é um conjunto de produtos, com harmonia do ponto de vista estético ou comercial, cuja fabricação e entrega são previstas para determinadas épocas do ano.

Em comparação a outros produtos de consumo, e considerando a complexidade e a fragmentação da cadeia têxtil, os produtos de moda são os que demoram mais tempo a chegar ao consumidor, com constantes e periódicas inovações.

Não é suficiente um designer de moda possuir intuição e criatividade. É preciso que todos os profissionais envolvidos no processo de desenvolvimento de produto tenham consciência dos seguintes princípios, vitais como informações para o início do projeto:

• Os objetivos gerais da empresa;

• Os limites do mercado da empresa e os desdobramentos previsíveis por categoria de artigo;

• As vantagens e limitações do maquinário;

• Um cronograma para as atividades.

O desenvolvimento do produto de moda compreende as seguintes fases:

1. Geração do conceito: compreende a análise das coleções anteriores e o estabelecimento da direção da próxima.

2. Triagem: o produto é analisado quanto a sua elaboração e à sua adequação. É nesta fase que também é definido o tema da moda.

3. Projeto preliminar: corresponde aos esboços dos modelos e à escolha de cores, formas, tecidos, aviamentos, componentes, acessórios e etiquetas.

4. Avaliação e melhoramento: o desenvolvimento do desenho técnico, da modelagem e da ficha-técnica.

5. Prototipagem e projeto final: a peça-piloto é desenvolvida, e aprovada ou não, desenvolvimento da embalagem e a produção de materiais para divulgação (catálogos e fotos).

Ao analisar um produto quanto à sua elaboração, deve-se considerar três pontos importantes:

• Objeto de inspiração – um ponto de partida, uma idéia, um estímulo para o estilista ter condições de desenhar e configurar a coleção.

• Contemporaneidade da forma – a atualidade é o principal aspecto a ser considerado no produto. Com habilidade, deve-se decodificar, transformar e tornar contemporâneo as formas e estilos que marcaram épocas através da história da moda.

• Estética – a noção do belo quanto ao estilo, forma, cores, estampas e aviamentos.

Na análise do produto quanto à adequação, deve-se considerar a funcionalidade e os aspectos comercial e cultural do produto. Os produtos de moda devem ser desenvolvidos com o objetivo de garantir conforto, de possibilitar movimentos e de adequar-se ao local onde devem ser usados (cidade, praia, campo).

O projeto do produto de moda é fundamentado nas seguintes etapas:

1. Coleta de informações sobre moda. Coleta-se todos os referenciais de moda (idéias, modelos, tecidos, padronagens, modelagens) que serão utilizados na próxima coleção de moda.

2. Definição do tema. É o conceito geral da coleção. Deverá refletir a tendência da estação, estar de acordo com a filosofia da empresa e atingir as necessidades do consumidor.

3. Esboços dos modelos. O profissional pode transpor a sua idéia para o papel através de croquis (desenhos à mão-livre) ou através da utilização do sistema CAD.

4. Definição dos modelos. Através de um comitê formado por Designer e executivos das áreas de vendas, produção e marketing. A análise técnica comercial tem maiores possibilidades de garantir ao produto final correspondência às expectativas do mercado e da empresa.




QUALIDADE NA CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO PRODUTO DE MODA

As características que orientam a qualidade do produto de moda começam na definição e análise das matérias-primas (fibras, fios, tecidos), passando pelas fases de criação, desenvolvimento, confecção, acabamento e sua relação com o consumidor, no uso diário.

A qualidade pode ser desdobrada em categorias, com base em cinco abordagens:

1. Abordagem transcendental: a qualidade é vista como um sinônimo de excelência inata.

2. Abordagem baseada em manufatura: a qualidade corresponde a produtos isentos de erros ou produzidos e entregues conforme forem projetados.

3. Abordagem baseada no usuário: a qualidade implícita na adequação do produto ao seu propósito.

4. Abordagem baseada no produto: a qualidade é um conjunto mensurável e preciso de características que são requeridas para satisfazer o consumidor.

5. Abordagem baseada no valor: a qualidade é conceituada em termos da percepção custo versus preço final.

Produtos com qualidade superior causam um grande efeito sobre as vendas, garantindo melhores preços e uma boa receita de vendas. Como características de qualidade pode-se destacar os seguintes itens:

• Funcionalidade: refere-se ao desempenho de uso e aspectos inerentes ao produto;

• Aparência: inclui o aspecto estético, visual, sensorial, sonoro ou olfativo do produto;

• Confiabilidade: consiste no desempenho do produto ao longo do tempo médio.

• Durabilidade: é a vida útil do produto, com modificações e consertos ocasionais;

• Recuperação: baseia-se na solução de problemas do produto com facilidade;

• Contato: pode incluir a empatia e o conhecimento de contato, pessoa a pessoa.

O controle da qualidade, desde o planejamento e desenvolvimento do produto, pode ser fracionado em seis etapas seqüenciais:

1. Definições das características de qualidade do produto;

2. Definição da medida de cada característica;

3. Estabelecimento de padrões de qualidade para cada característica de qualidade;

4. Controle da qualidade em relação aos padrões estabelecidos anteriormente;

5. Detectação e correção das causas da baixa qualidade;

6. Continuação permanente de melhoria.

A qualidade no produto de moda é dividida em cinco fatores principais:

1. Qualidade Estética: fator que envolve os aspectos de pesquisa e criação de moda, coordenação de cores, elaboração de texturas, formas, padrões e o aspecto visual do produto;

2. Qualidade Onerosa: fator fundamental que analisa a matéria-prima, a escolha de determinado fio, da composição (natural, artificial, sintética ou mista), a análise das fibras e suas variações.

3. Qualidade Conceitual: cada tecido ou peça de roupa tem função específica e deve adaptar-se ao uso final, verificando resistência à tração, fricção, formação de pilling (bolinhas), cores firmes e resistentes à luz e estabilidade dimensional (não deforma, não encolhe, não estica e não enruga).

4. Qualidade de Produção: consiste no estudo prévio das técnicas e acompanhamento dos processos de produção, realizando planejamento e controle de qualidade. Os gerentes de produção decidem de que forma as características de qualidade serão medidas, o estabelecimento do padrão de qualidade aceitável e a identificação dos pontos críticos de produtos, serviços ou processos para atender às especificações do projeto. Existem dois tipos de checagens para conferir a qualidade:

• O controle estatístico de processo preocupa em checar um produto ou serviço durante a sua criação e os problemas podem ser identificados e retificados;

• A amostragem de aceitação tem como finalidade a aceitação ou rejeição de todo um lote de produtos com base em uma amostra.

5. Qualidade Comercial: considera a apresentação do produto acabado, prazo de garantia, lançamento do produto, serviço pós-venda (entrega e assistência ao consumidor) e o preço.

O design dá forma à qualidade vaga denominada satisfação do produto, que pode ser sintetizada em termos de valor de mercado e inovação.

O produto de moda não possui somente a função de revestir e proteger o corpo, é o resultado do equilíbrio ou desequilíbrio de funções concebidas no sistema triádico:

• função pragmática quando tem adequação a sua finalidade, como exemplo para obter um bom resultado, atletas utilizam roupas de performance, com formas e tecidos inteligentes;

• função social ou presentativa, traduzida como objeto de representação social, com a finalidade de transmitir prestígio e status social;

• função estética pode-se citar os sapatos plataforma de 20 cm de altura

Através da pesquisa faz-se uma análise de correntes de estilo internacionais e nacionais em bureaux de style, forecast book (cadernos de perspectivas das correntes mundiais de moda, analisam o atual mercado consumidor e apontam as principais linhas que irão influenciar o segmento de moda quanto a estilos, cores, formas ou matérias-primas), revistas especializadas na área e visitas a mais importantes feiras de moda nacionais (Fenit, Fenatec, Couromoda e outras)e internacionais (Première Vision, Expofil e outras).

É nesta fase também que se escolhe imagens relacionadas com os temas, captando as cores, texturas, possíveis formas de roupas, idéias de materiais e o clima dessas imagens, aplicando esses conceitos como idéias para a criação. Reúnem-se todos os elementos comuns (temas, cores, formas, materiais) e analisa sua utilização, em sub-grupos diferenciados para o desenvolvendo de ambiências (painel de imagens, elementos visuais e gráficos dos temas).

A maioria das empresas se constitui como empresas de pequeno porte e o responsável pelo desenvolvimento de produto pertence à família proprietária da empresa, o que justifica o desenvolvimento de pequenas coleções mais versáteis, em velocidade com as informações no setor e em função do desenvolvimento de coleções private label (nome dado quando uma indústria fabrica para outra indústria ou rede de varejo sem o uso da própria marca, mas com a marca da empresa contratante), exigindo constantes pesquisas e novas linhas de produtos.

Além de qualidades como criatividade e intuição, um bom designer de moda deve possuir, além de formação em moda em curso superior, de especialização ou técnico na área, conhecimento tecnológico e cultural aliado a uma metodologia eficaz de trabalho, bem como um grande percentual de ética, humildade e espírito corporativo.

A competitividade crescente, entre as empresas têxteis e de confecção desde o início da década de 90, gerou a procura inédita pelo profissional de moda. Um profissional habilitado a desenvolver croquis, desenhos técnicos, materiais, harmonia de cores, pilotagem, modelagem e o acompanhamento da produção e das vendas tem maiores chances de sucesso no mercado.

O projeto de produto de moda mais interessante é aquele que exige inovações de fato, isso significa criar diferenças entre esse produto e aquele dos concorrentes.

É necessário conhecer as potencialidades das máquinas e equipamentos da empresa, possibilitando a discussão e a consideração da maioria dos problemas da cadeia produção / comercialização. Com maquinário mais moderno é possível elaborar modelos complicados, do ponto de vista técnico, a um custo baixo, pois o tempo de programação e produção torna-se menor e com menos possibilidades de defeitos. O uso integrado dos sistemas CAD/CAM não aparece nas pequenas empresas, pois se ignora as possíveis aplicações do software, como facilitador na formatação de uma coleção de moda.

Referente à estética de um produto, considerada extremamente importante, a parte visível dos produtos como aparência, estética, cores, embalagens e etiquetas, obriga uma padronização em todo o processo produtivo em todas as peças.

O Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) verifica a obrigatoriedade de etiquetas indicando a composição têxtil, embalagens e comercialização de produtos têxteis nacionais e importados, com base no Regulamento Técnico sobre o emprego de Fibras e Produtos Têxteis.

Um acervo sobre a evolução de seus produtos e serviços, funcionam como uma espécie de banco de idéias. Relatório das peças mais vendidas, das cores mais solicitadas ou da discriminação dos modelos por regiões servem como subsídios para coleções posteriores.

É imprescindível um procedimento escrito que defina a metodologia de desenvolvimento de produto usada, pois, se alguma peça da coleção necessitar de modificações durante o processo produtivo, a empresa pode realizar uma pesquisa rápida aos documentos e detectar qual a etapa não está correta.

Pesquisa de tendências de moda é importante. A pessoa que é um bom radar tem instinto, é receptiva a tudo que a cerca, sente no ar o espírito da época. Dentre algumas fontes de informação podemos citar revistas, vitrines, feiras, ruas, lojas de atacado e varejo, cinema, clubes, bureaux, brechós, teatro, museus, galerias, mercados públicos, viagens, internet, televisão e outras.

Conceito de coleção é a idéia básica, a noção de estilo que orienta toda a criação de moda, englobando tendências de moda, as necessidades dos clientes até a imagem da empresa perante o mercado consumidor.

A pesquisa de mercado é ferramenta importantíssima para o desenvolvimento de novos produtos. O mercado dos produtos de vestuário é dividido em dois segmentos:

1. no segmento básico os preços dos produtos são baixos, a distribuição é extensiva e a produção trabalha somente com grandes lotes de produtos,

2. no segmento moda os lotes de produção são pequenos, os preços são altos e a distribuição é seletiva (centros urbanos e canais especializados).

O profissional de criação e desenvolvimento de produto de moda precisa interpretar desafios, agregar valor a produtos e estudar os fluxos de beneficiamento que mais encaixam com as opções de equipamento que a empresa possui.

A estagnação foi um dos problemas que mais afetou as indústrias têxteis e de confecções brasileiras e que se tornou um poço negativo na concorrência gerada pela economia globalizada.

A abertura do mercado para produtos estrangeiros, a velocidade da informação através de novos meios de comunicação (internet, TV a cabo) e o amplo leque de tendências (em função da inversão piramidal da moda) geraram novas opções de produtos do setor.

Desenvolver moda envolve todo um processo que começa na definição de um conceito, gerado a partir da filosofia da empresa, das pesquisas de mercado, das tendências de moda da estação e do uso de técnicas de criatividade. É a observação, a análise e a síntese quantitativas e qualitativas das necessidades e desejos de determinado segmento de mercado. Após a definição do conceito da coleção, inicia-se o planejamento e o desenvolvimento, a partir de itens como estilo, forma, disponibilidade de materiais, cores, custos e infra-estrutura industrial.

Para haver a busca da qualidade, desde o início do projeto do produto de moda, recomenda-se algumas propostas:

• o desenvolvimento de softwares para a criação de moda;

• o uso do sistema integrado CAD/CAM;

• a diferenciação dos produtos, através da diversificação de materiais e do design;

• investimentos em pesquisas de desenvolvimento como fator diferencial;

• a instalação de salas de criação de moda, biblioteca e videoteca técnicas, com a finalidade de suprir as necessidades de informações;

• a criação de laboratórios experimentais como incentivo à criação e ao trabalho de novos profissionais;

• cursos de reciclagem sobre técnicas atuais de administração;

• elaboração de um banco de informações técnicas e de moda;

• convênios possibilitando a troca de informações;

• maior troca de informações sobre novas tecnologias e materiais;

• a criação de um selo de qualidade;

• maiores incentivos financeiros para participarem de eventos e feiras.

O produto de moda caracteriza-se pela renovação constante, a cada troca de estação climática, porém seu processo de elaboração e construção pode demorar até 24 meses.







FAÇA PARTE DA MAIOR REDE DE DIVULGAÇÃO NA INTERNET !







SAIBA COMO GANHAR DINHEIRO NA INTERNET




MAIS ACESSADAS NO SITE::

MODA: Bruna Marquezine aparece com novas cores do PUMA Mayze

Tricot é tendência para 2022; saiba como usar e fazer looks arrasadores

Moda sustentável: Qual a importância dela na atualidade ?

Supermodelo brasileira Lais Ribeiro usa óculos da Carolina Herrera