Projeto Labmoda+ abre inscrições até o final de junho para jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica

Projeto do Instituto Ecotece, de São Paulo, tem financiamento da Fundação PVH e inicia no mês de julho

 

Projeto Labmoda+ propõe o desenvolvimento da inteligência criativa para jovens de 16 a 25 anos

 

Uma iniciativa brasileira, focada em ampliar o acesso de jovens pertencentes a grupos vulnerabilizados aos empregos da indústria da moda, foi selecionada para receber recursos da PVH Foundation. Ligada à PVH Corp., empresa proprietária das marcas Calvin Klein e Tommy Hilfiger, a Fundação escolheu apoiar o Labmoda+, projeto do Instituto Ecotece, junto a outras 8 iniciativas de destaque ao redor do mundo. O motivo? Além de proporcionar conhecimentos e acesso ao mercado da moda, o Labmoda+ vai desenvolver agentes de mudança para o setor -- que precisa, com urgência, responder aos desafios socioambientais do nosso tempo.

 

Trata-se de uma jornada de formação de 6 meses, que inicia em julho de 2022. São oferecidas 50 vagas gratuitas para participar de aulas e vivências em criação, design, estratégia e gestão. A proposta vai além dos currículos tradicionais, trazendo para o centro temas como meio ambiente, trabalho e equidade, consumo consciente, cultura e empreendedorismo. Além do conteúdo teórico, os alunos passarão por vivências reais da moda, atividades de desenvolvimento humano e preparação para mercado de trabalho, incluindo mentorias e contato com marcas e profissionais de destaque em suas áreas.

 

Jovens de comunidades pouco representadas na moda são o público-alvo da iniciativa do Instituto Ecotece

 

Até o final deste mês de junho, o Labmoda+ estará com inscrições abertas para seleção de jovens de 16 a 25 anos, moradores da cidade de São Paulo e Grande São Paulo, prioritariamente ligados a escolas públicas e ONGs, oriundos de áreas periféricas ou pertencentes a comunidades pouco representadas na moda brasileira -- afrodescendentes, LGBTQI+, imigrantes, indígenas e pessoas com deficiência -- para participarem da formação. Aqui, é importante lembrar que apesar do discurso de diversidade estar sendo comunicado por muitas marcas de moda, essa ainda não é uma realidade no mercado brasileiro.

 

"O Ecotece entende que é necessário diminuir as lacunas, levando um conhecimento especializado e latente sobre moda e sustentabilidade para jovens sem acesso à formação de alta qualidade e para locais onde esse assunto ainda é pouco debatido", comenta Julia Toro, presidente do Instituto Ecotece, sobre a importância de proporcionar a conexão desse perfil de jovens ao mercado da moda.

 

O desejo de colaborar na transição da moda brasileira para a sustentabilidade, aliás, já mobiliza a atuação do Instituto Ecotece desde 2005. A jornada chamou a atenção da PVH Corp., em especial com o reforço do projeto Labmoda+: "Estamos comprometidos em fazer a diferença com inclusão e diversidade, e esperamos elevar a próxima geração de inovadores em todo o mundo" disse Stefan Larsson, CEO da PVH Corp. Para mais informações, acesse o site.

 

SERVIÇO | Labmoda+ (por Instituto Ecotece e PVH Foundation)

O que: curso de formação para jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica interessados em ingressar no mercado da moda (em São Paulo/SP, no formato híbrido -- presencial e online)

Quando: entre julho e dezembro de 2022

Para se candidatar: inscrições até 19 de junho de 2022 por meio do site clicando aqui.

 

Sobre o Instituto Ecotece:

A missão do Instituto Ecotece é inspirar novas lógicas de produção e consumo, tornando a moda mais ética, limpa e inclusiva. Atua há 16 anos no desenvolvimento de projetos socioeducativos e culturais nas áreas de capacitação de jovens, apoio a grupos produtivos vulneráveis na cadeia da moda e na gestão ética da produção para marcas de moda.

 


SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS



MAIS ACESSADAS NO SITE::

Moda sustentável: Qual a importância dela na atualidade ?

Tricot é tendência para 2022; saiba como usar e fazer looks arrasadores

Artistas e mundo da moda multiplicam possibilidades e ganhos no metaverso