Saiba como são feitas as primeiras sandálias de plástico vegana do Brasil

Com sandálias 100% recicláveis e compostas por 70% de fontes renováveis e embalagem livre de plástico, marca de lifestyle sustentável Linus compensa toda a emissão de carbono e é certificada pela organização internacional de direitos dos animais

 

Linus Marinho, foto: Tipi Criativo

 

Durante a pandemia, quando a busca online por calçados confortáveis e sustentáveis aumentou, a marca de lifestyle sustentável Linus, criadora da primeira sandália de plástico vegana do Brasil, viu as vendas crescerem 700%. As sandálias 100% recicláveis e compostas por 70% de fontes renováveis carregam também unem conforto, sustentabilidade e atemporalidade, três pilares que, antes da criação da marca, eram uma decisão difícil para consumidores brasileiros, que quase sempre tinham que decidir entre itens da moda, confortáveis ou sustentáveis.

 

"A Linus nasceu para facilitar a tomada de decisão dos consumidores, queremos introduzir a sustentabilidade no dia a dia das pessoas e a sandália foi a primeira forma que encontramos para isso, mas não devemos parar por aqui", afirma a fundadora e CEO da fashiontech Isabela Chusid. O calçado é projetado por designers, engenheiros de material, ortopedistas e especialistas em palmilhas.

 

Nada na composição da marca é testado em animais. O processo é livre de óleos plastificantes e lubrificantes de origem animal, que foram substituídos por óleos vegetais. As sandálias são feitas de PVC ecológico microexpandido, um dos plásticos mais versáteis da indústria, com uma estrutura molecular diferente quando comparado aos outros plásticos, já que 57% do seu peso é obtido a partir do sal marinho (cloro), um material praticamente inesgotável na natureza, de acordo com o livro Tecnologia do PVC. Além disso, o PVC microexpandido é 100% reciclável e tem um longo ciclo de vida útil, o que o torna durável.

"A resina de PVC é naturalmente rígida. Para obter um material maleável e confortável para a Linus, tivemos que incorporar plastificantes, mas fizemos questão de substituir todos os plastificantes de origem animal por aditivos de origem vegetal, como óleos de soja, milho, mamona e palma. Assim, conseguimos tornar a Linus também uma sandália vegana e para chegar em nossa cartela de cores, utilizamos pigmentos orgânicos, livres de metais pesados", complementa Isabela.

 

As embalagens da Linus também são 100% livres de plástico, feitas de papelão com etiquetas de papel semente de margarida. A etiqueta vem unida à sandália com um cordão de sisal, já com as instruções para plantar as margaridas. "Toda a nossa produção é feita no Brasil, assim, conseguimos garantir menos emissões de carbono e fortalecer a produção nacional, além de estreitar o relacionamento com nossos parceiros", explica a fundadora da marca.

 

Com a sustentabilidade diretamente atrelada ao negócio, para além dos produtos, a Linus compensa a emissão de carbono e 200% de todo o plástico que produz, possui os selos Eu Reciclo, Carbon Free, além de ser certificada pela organização internacional de direitos dos animais PETA. O objetivo é se tornar carbono negativa até 2026.

 

Em setembro de 2021, a marca esteve presente na passarela da New York Fashion Week, uma das principais semanas de moda do mundo, calçando modelos no desfile da coleção do nova-iorquino Carlton Jones. Além do e-commerce, que cresceu 700% na pandemia, as sandálias também estão à venda em lojas físicas. Podem ser compradas na Casa Linus, em Pinheiros, ou na loja temporária da marca no SHOPS Jardins.


 

Etiquetas de papel sementes de margaridas


 

Embalagens


 


MAIS ACESSADAS NO SITE::

Moda sustentável: Qual a importância dela na atualidade ?

Marrom é o novo preto: cor é tendência no outono-inverno

Mais moderna e descontraída, Marisa apresenta nova coleção de jeans

Artistas e mundo da moda multiplicam possibilidades e ganhos no metaverso